A história do Carnaval

Muita gente pensa que o Carnaval é uma festa tipicamente brasileira, mas na verdade ele tem origem bem mais antiga. Está associado a cultos agrários da Grécia Antiga (por volta do séc. V a.C.). Com o advento da agricultura, a fertilidade do solo e colheita eram celebradas todo ano. Nos séculos seguintes esta tradição espalhou-se pela Grécia, Roma e pela Europa medieval. Na Idade Média, com a sociedade bem separada em classes, sexo e bebidas tornaram-se parte dos feriados, como uma forma de escape.

O Carnaval cristão foi oficializado pela Igreja Católica em 590 d.C. Antes desta data, a instituição condenava a festa por ser "pecaminosa". Entretanto, as autoridades eclesiásticas daquele tempo não conseguiram banir o Carnaval. Para evitar a devassidão, cerimônias foram impostas. Mas este tipo de restrição contradizia a natureza do Carnaval: risos, piadas.

O Carnaval começou a ser celebrado em Veneza no século XIII e espalhou-se pelo mundo. Foi então que a festa adquiriu as características atuais: máscaras, fantasias, desfiles.

Carnaval no Brasil

O Entrudo - Debret

 

O Carnaval no Brasil começou em 1723, quando portugueses chegaram das ilhas da Madeira, Açores e Cabo Verde. Na época, a principal piada consistia em jogar água uns nos outros. Era então conhecido por Entrudo.

Entrudo

Festividade popular relacionada ao carnaval. Pessoas humildes ou escravos se fantasiavam e percorriam as ruas atirando "limões perfumados" uns nos outros.

Limões perfumados

Os limões perfumados eram feitos de cera, preenchidos de água ou perfume, desde o mais simples até o mais gostoso. Eles eram vendidos pelos meninos e custavam de 20 a 200 réis cada um. Variavam de tamanho, desde o tamanho de um ovo de pombo até uma bola de bilhar, e eram feitos em molduras de madeira.

Imperador Pedro II proíbe os excessos

Como as ruas ficavam extremamente sujas depois da "batalha", inclusive com excrementos, o Imperador D. Pedro II (1841-1889) decidiu proibir o Entrudo.

 

Zé Pereira

“Zé Pereira”! Quem foi ele?

Em 1846, o sapateiro português José Nogueira de Azevedo Paredes começou a animar as festas de Carnaval com tambores, chamados Zé-Pereiras em Portugal, o marco inicial da percussão como ritmo característico do Carnaval.

Os primeiros bailes de Carnaval no Brasil

O 1o baile de carnaval ocorreu no Rio de Janeiro em 1840, quando os brasileiros conheceram os bailes europeus. As danças típicas eram a valsa, a polca e os schotisches. Pessoas usavam máscaras como em Veneza. Em 1855, as pessoas mais ricas organizaram as "sociedades" que desfilavam em carros alegóricos. Como reação, as pessoas mais pobres começaram a defilar também, mas de uma forma mais simples. O contraste entre ricos e pobres foi representado por Ângelo Agostini.