Jovem Guarda

Roberto, Erasmo e Wanderléa

O mundo já não era o mesmo. Uma onda estourou, trazendo uma nova visão do mundo. Cor, musicalidade e energia. A juventude dava o seu grito de independência. Esses eram os loucos anos 60 e o Brasil não perdeu essa onda. Influenciados pelos Beatles, jovens ingleses que uniam canções românticas e descontraídas com guitarras elétricas, surgiu o movimento da Jovem Guarda.

O movimento não foi estritamente musical, uniu música, comportamento jovem e moda. Esses jovens queriam saber de amor, de alegria, de alto-astral. Eram chamados de alienados pela juventude politicamente ativa. Não eram alienados, apenas felizes.

Surgiu inicialmente em 1965, como um programa homônimo das tardes de Domingo na Tv Record de São Paulo. Apresentado por Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa, as grandes estrelas do movimento, o programa teve um enorme sucesso de audiência, tanto entre jovens e adultos, impulsionando a venda de diversos produtos relacionados à marca e estética da Jovem Guarda.

Pelo programa passaram os artistas mais importantes do gênero como Martinha, Eduardo Araújo, Wanderley Cardoso, Jerry Adriani e as bandas Os Incríveis, Renato e seus Blue Caps , Golden Boys e The Fever.

Com o desligamento de Roberto Carlos para estrear um programa solo, as jovens tardes de Domingo já não eram as mesmas. O programa durou até 1969 e junto terminou o movimento da Jovem Guarda. A contracultura havia conquistado o mundo e o Tropicalismo dominava o país. Segundo Erasmo Carlos: “A Tropicália era uma Jovem Guarda com consciência das coisas e nos deixou num branco total”.

Criticado por uns e amado por outros, hoje podemos ver a grande contribuição da Jovem Guarda para a MPB, tanto pelo uso das guitarras quanto pela incorporação da música pop em seus ritmos. Músicas da época voltam a fazer sucesso nas vozes de artistas consagrados atualmente, como Marisa Monte, Adriana Calcanhoto e Skank.

Para ouvir:

“Jovem Guarda”, Roberto Carlos (1965)
“A Pescaria”, Erasmo Carlos (1965)
“Ronnie Von”, Ronnie Von (1966)
“Em Ritmo de Aventura”, Roberto Carlos (1967)

Sessão Pipoca:

Na Onda do Iê-Iê-Iê (1966)
Roberto Carlos em Ritmo de Aventura (1967)
O Diamante Cor-de-Rosa (1969/70)
Roberto Carlos a 300 km/ Hora

Para ler:

Almanaque da Jovem Guarda - Ricardo Pugialli, Editora Ediouro