Cartas Leopoldinas - espetáculos musicais para a exposição do MAR

01/06/2016

O ano de 1816 marca o início de um período áureo para o Brasil, que passa a integrar o Reino Unido, junto a Portugal e Algarve. O noivado de D. Pedro com a descendente de uma das mais importantes cortes europeias – D. Leopoldina de Habsburgo – e a chegada ao Brasil da Missão Artística Francesa contribuem para o projeto civilizatório que transformaria a antiga colônia no mais importante país das Américas.Com a Missão Francesa, chega o compositor Sigismund Neukomm (1778 – 1858), aluno predileto de Joseph Haydn. Pouco depois, em 1817, desembarca a Princesa Leopoldina, que traz na bagagem obras de seu professor de piano, o compositor Leopold Kozeluch (1747 – 1818), inclusive manuscritos que hoje só existem no Brasil.

A série de concertos marca os 200 anos desse relevante momento da história brasileira e complementa a exposição Leopoldina, princesa da Independência, das artes e das ciências, em curso no MAR – Museu de Arte do Rio – de julho de 2016 a março de 2017.

MISSÃO FRANCESA 200 ANOS – 1 de junho (Auditório do BNDES) – obras de J.M. Nunes Garcia, S. Neukomm, apresentadas por Vox Brasiliensis (Ricardo Kanji - flautas e direção; Marília Vargas– voz; Guilherme de Camargo – cordas dedilhadas) - Ator: Fábio Cardoso (como S. Neukomm)  - Projeções: Dani Ferrari.

CARTAS LEOPOLDINAS  - 3 e 4 de junho, às 15h e 20h (Sala Cecília Meireles) - obras de S. Neukomm e L. Kozeluch, interpretadas por Jacques Ogg, Rosana Lanzelotte (pianoforte), Ricardo Kanji (flauta),  Alberto Kanji (cello) e Felipe Prazeres (violino) - Atriz: Carol Castro (como Princesa Leopoldina).

O AMOR BRASILEIRO – 12 de julho (MAR), obras de Sigismund Neukomm apresentadas por Rosana Lanzelotte (pianoforte) e Anton Carballho (violino).

PATROCÍNIO: