Saltério

O saltério é formado por uma caixa de madeira com orifícios sonoros e suas cordas são esticadas paralelamente a esta caixa. Seu formato pode variar, mas o mais comum é o trapezoidal.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Cítara (tipo de saltério)
 

Como funciona?

Para tocar o saltério o músico o coloca sobre uma mesa ou sobre as pernas e dedilha as cordas com os próprios dedos ou com uma palheta.
 

Um pouco de história...

A origem do saltério remonta pelo menos a 300 a.C., mas foi muito utilizado entre os séculos XII e XV.  A partir do séc. XVI deu origem a outros instrumentos: quando tocado com martelos transformou-se no dulcimer e adicionado a um teclado deu origem ao cravo.
 
 
Antigamente as cordas do saltério eram de tripa, mas posteriormente passaram a ser de metal.
 
Apesar de ser um instrumento antigo que não teve significativas modificações em sua construção, o saltério ainda hoje é tocado em grupos de música antiga.
 
O saltério já era um instrumento fabricado no Rio de Janeiro no século XVIII. Curiosamente, quatro exemplares do construtor António Martins Santiago sobreviveram até os dias de hoje: dois instrumentos estão em museus brasileiros (um deles, cuja imagem é a primeira exibida nesta página, encontra-se no Museu Imperial de Petrópolis) e outros dois em museus portugueses.