Corneta

 

A corneta, instrumento que hoje se conhece como o pistom, é um instrumento de aparência e técnica de execução muito parecidas com o trompete. 

 

Como funciona?

Seu funcionamento é semelhante ao dos outros instrumentos da família de sopro de metais, onde é necessária a vibração dos lábios do músico no bocal do instrumento para que o som seja produzido.

 

Um pouco de história...

A corneta surgiu como um instrumento muito utilizado em contextos militares, para emitir sinais de comando. Não possuía chaves, sendo por isso conhecida também como corneta lista. 

Corneta lisa (séc. XIX)

 

No início do século XIX, para facilitar a afinação, foram adicionadas à ela cinco chaves, passando a ser  chamada de corneta com chaves, corneta a pistom ou bugle. Posteriormente o número de chaves foi sendo aumentado, podendo chegar ao número de 12.

Corneta com chaves ou Bugle (séc. XIX)

 

Ainda no século XIX no Brasil, especialmente no Rio de Janeiro, cornetas com chaves ou sem chaves eram importadas e muito vendidas em lojas de instrumentos musicais, como demonstram jornais cariocas da época.  Em 1828, por exemplo, eram vendidas "cornetas de chaves próprias para Batalhões elegantemente trabalhadas e bem entoadas" na rua direita.

 

A corneta ou pistom no Brasil foi gradativamente caindo em desuso ao longo do século XX, sendo substituída pelo trompete moderno.